logo
Whatsapp Chat
Envie uma mensagem que lhe retornarei tão logo seja possível.
Menu Fechar
pt Portuguese

Preconceito linguístico: como evitá-lo e por que é prejudicial

O preconceito linguístico é uma forma de discriminação baseada na forma como alguém fala.

Compartilhar:

preconceito linguístico
This entry is part 16 of 19 in the series Linguagens

O preconceito linguístico é uma forma de discriminação baseada na forma como alguém fala. Pode ser prejudicial porque pode levar as pessoas a serem julgadas e tratadas de maneira diferente com base em sua linguagem. É importante evitar o preconceito linguístico estando ciente de seus próprios preconceitos e tratando todos com respeito.

Este preconceito pode se manifestar de várias maneiras, como xingamentos, zombar da fala de alguém ou até mesmo evitar o contato com alguém por falar um determinado idioma.

Como a maioria dos preconceitos, o preconceito linguístico resulta da ignorância ou de um estranhamento de pessoas que falam outras línguas.

Também pode ser uma maneira de afirmar o domínio sobre alguém, menosprezando-o ou fazendo-o se sentir inferior.

Em alguns casos, o preconceito linguístico pode ser não intencional.

Por exemplo, se alguém fizer um comentário sobre como a linguagem de outra pessoa soa “sem sentido”, ela pode não perceber que está rebaixando a cultura e a herança dessa pessoa.

Dependendo da intensidade, o preconceito linguístico pode causar maiores danos do que simplesmente ofender alguém.

Ele também pode ser um fator de risco para a autoestima e a autoimagem de alguém.

Formas de preconceito linguístico

O preconceito contra uma língua ou dialeto pode assumir muitas formas. Como vimos, pode ser tão simples quanto fazer um comentário negativo sobre a maneira de falar de alguém, ou pode ser mais aberto, como se recusar a se comunicar com alguém por causa da maneira como fala.

Também pode se manifestar na discriminação no local de trabalho, como passar por cima de candidatos qualificados para empregos ou promoções porque não falam da maneira “certa”.

Além da ignorância, esse tipo de preconceito também tem base na falta de compreensão das complexidades da linguagem.

Aqueles que são vítimas de preconceitos linguísticos muitas vezes sofrem com oportunidades reduzidas e exclusão social.

Para evitar o preconceito linguístico, é importante estar ciente das diferentes formas que a linguagem pode ser usada para oprimir ou discriminar as pessoas.

Uma maneira de fazer isso é aprender sobre a história e as origens de diferentes idiomas.

Outra maneira de combater o preconceito linguístico é aprender vários idiomas. Isso ajudará você a entender como diferentes idiomas podem ser usados de maneira positiva e também lhe dará uma maior apreciação pela beleza da linguagem em geral.

Por fim, também é importante respeitar a maneira como as outras pessoas usam sua própria língua, mesmo que seja diferente da sua.

Preconceito linguístico em várias línguas

Então, como estamos vendo, o preconceito contra uma língua ou contra os falantes de uma língua é chamado de preconceito linguístico. Pode existir em qualquer idioma.

Por exemplo, em muitos países europeus, o alemão é visto como uma língua estrangeira, mesmo sendo uma língua rica e com milhões de falantes em um território vasto.

E muitos estrangeiros que vivem na Inglaterra são considerados “estrangeiros”, mesmo que se tornem cidadãos britânicos.

Um nativo do Brasil também pode ser considerado “estrangeiro” quando viaja para outros países. Consequentemente, o português também pode ser visto como uma língua estrangeira em muitos países.

Mas o preconceito linguístico também pode ocorrer em relação à língua nativa de alguém.

O preconceito linguístico ocorre tanto em níveis micro e macro. No caso do preconceito linguístico em relação a uma língua estrangeira, por exemplo, o inglês, é um microagressão.

Uma “hostilidade tenso-consciente” é transmitida através da língua estrangeira que é falada por estrangeiros e nativos. Em muitos casos, pessoas estrangeiras são submetidas a uma vigilância intensa e rotina doméstica constante enquanto que os nativos falam a sua própria língua na mesma sala.

Um exemplo de preconceito linguístico em relação à língua estrangeira é a ideia de que a língua inglesa domina o mundo. Então, uma microagressão mais ampla é a ideia de que uma língua “domina” outra. Torna-se pois uma macroagressão.

Estabelecer um conceito linguístico para descrever um estrangeiro e um nativo

Em muitos casos, uma pessoa estrangeira e uma pessoa na comunidade são consideradas “estrangeiras” apenas em certos aspectos e “nativas” em outros.

Por exemplo, em um buffet comida tailandesa, o freguês pode ser considerado um estrangeiro quando pede algo fora do cardápio  e uma pessoa nativa quando pede algo do cardápio.

Esta ideia de que alguém pode ser um estrangeiro em algum lugar e um nativo em outro é muito prejudicial.

O preconceito linguístico faz com que as pessoas vejam as mesmas ações de forma diferente, dependendo de onde estão.

Outra forma de ver o preconceito linguístico é dizer que a língua comum entre duas pessoas determina se elas são amigáveis, hostis, estranhos ou membros da própria comunidade.

Resumindo…

Em conclusão, o preconceito linguístico é um problema real que pode ter consequências negativas tanto para os indivíduos quanto para a sociedade como um todo.

É importante estar ciente de seus próprios preconceitos e fazer um esforço para evitá-los.

Ao ver ou ouvir alguém sendo preconceituoso, fale e ajude a corrigir a situação.

Somente trabalhando juntos podemos esperar superar essa forma de discriminação que também pode tomar uma forma de manipulação.

Cover for Letrascri
304
Letrascri

Letrascri

Publicações e conteúdos digitais para diferentes suportes. Negócios digitais para o seu negócio

Comments Box SVG iconsUsed for the like, share, comment, and reaction icons
Carregar mais
Series Navigation<< Variação linguística: o que é e como afeta a comunicação“Brasil, ame-o ou deixe-o”: o que esse ditado popular significa para os brasileiros >>

Fique Conectado

Conteúdo sempre atualizado