logo
Whatsapp Chat
Envie uma mensagem que lhe retornarei tão logo seja possível.
Menu Fechar

Você tem um contador de histórias em casa?

Histórias de um jeito ou de outro são interessantes e quem sabe contá-las tem talento e empatia para envolver os ouvintes na contação de histórias.

Compartilhar:

contador de histórias

Você já ouviu a história de uma pessoa que não tem histórias em sua vida? Isso poderia ser uma anedota de um contador de histórias, mas, bem, você não vai acreditar, isso pode ser um dos sintomas de problemas de saúde. Uma das diversas razões para isso é que as pessoas que têm ciclos de histórias positivas na sua vida tendem a viver mais tempo.

Mas não é só isso. Ser um contador de histórias pode ajudar muito na educação.

Talvez seja na infância que aprendemos a contar histórias para nosso público. Deve ser uma das lições mais antigas do mundo. Todos querem ouvir histórias. E talvez os contadores de histórias sejam os mais respeitados da Terra.

Mas, o que é um contador de histórias?

Um contador de histórias é uma pessoa que anuncia as histórias de outra pessoa ou de uma situação com o objetivo muitas vezes de se divertir ou divertir os outros. Então, em termos que são mais fáceis, um contador de histórias é um narrador de histórias. Ele sabe contar histórias muito bem, ou ocasionalmente, e ele tem uma habilidade emocionalmente desenvolvida que lhe permite capturar a atenção do outro, pois ele pode ser capaz de convencer a plateia de que ele não está contando uma história, mas sim um fato da vida real. A educação e, na realidade, toda infantilidade são um benefício do contador de histórias.

Como contar histórias

Todos contamos histórias, em algum momento da vida, a maioria dos seres humanos o faz. Uma boa história depende de mais que um simples começo, meio e fim. Ela deve moldar as nossas emoções, nos fazer rir, ficar tensos, sentir várias emoções diferentes em apenas uma narrativa.

No entanto, é importante salientar que as histórias devem ser lidas com uma atenção máxima. O contador de histórias deve lembrar-se dos fatos, dos personagens, chamando a atenção da audiência, capturando por assim dizer a sua imaginação, porque, daí, poderá inocular a essência autoral, isto é, a mensagem principal intencionada do autor da história.

Na realidade, contar histórias é uma das melhores maneiras de transmitir uma mensagem ou simplesmente entreter um público. Então, o que torna algumas histórias mais memoráveis do que outras? Elas têm algo em comum? Vamos dar uma olhada em algumas técnicas de contar histórias que existem há muito tempo e o que as torna tão eficazes:

  • Abrir com o ponto mais alto;
  • Fazer o ponto mais alto depois de uma pausa;
  • Começar com uma analogia;
  • Conectar com o ponto mais alto pela analogia;
  • Começar com um desafio;
  • Começar com uma curiosidade;
  • Começar com uma pausa dramática.

Outros pontos sobre as quais pensar na contação de histórias:

  • Ter um personagem bem desenvolvido;
  • Ter esse “cara” em uma situação difícil;
  • Colocá-lo em um dilema;
  • Usar o poder da emoção;
  • Usar o poder da linguagem;
  • Usar o poder da surpresa;
  • Usar o poder do silêncio;
  • Usar o poder da ilusão;
  • Usar o poder do amor.

Um contador de histórias investe-se em um personagem que pode estar em uma situação difícil. Ele pode lidar com essa situação enquanto tenta camuflar seu sentimento. Ele pode usar o amor para lidar com a situação, o poder da emoção para lidar com a situação, o poder da linguagem para lidar com a situação, o poder da surpresa para lidar com a situação, o poder do silêncio para lidar com a situação, o poder da ilusão para lidar com a situação. Enfim, a criatividade aqui é senhora!

Em resumo, vale usar esses pontos para extrapolar e alcançar a realidade da história que está sendo ou vai ser contada.

Como é a contação de histórias

A contação de histórias é uma das mais antigas formas de arrebatamento. Esta técnica usa a história para atrair a atenção do público e fazê-lo relaxar. Para poder contar uma boa história, você deve se preparar e praticar. Alinhe esta habilidade com a mudança da sua comunidade em um ambiente mais culto e moderno.

Como se diz, um conto de fadas sempre tem algum final feliz. Contar histórias é uma forma amável de criar ligações entre as pessoas e passar mensagens importantes. As histórias podem ser lúdicas, inspiradoras, instigadoras e até mesmo de terror. O objetivo é a transmissão de uma ou mais mensagens contidas nessa representação.

Contar histórias é uma tradição que perdura através das eras. Histórias sempre foram um meio de aprender e compartilhar experiências; contar uma história é um efeito natural quando um livro é aberto e, de alguma forma, pode-nos ajudar a aprender e a viver.

Alguns tipos ou formas de histórias que servem à contação de histórias:

Histórias curtas

Contação de histórias curtas é uma técnica utilizada pelos contadores de histórias com o objetivo de interagir com o público. Ela consiste em uma breve relação de ideias ou situações em que solucionamos algum problema ou não, alcançando resultados surpreendentes como o de sair de uma situação ruim e chegar à boa.

Vale lembrar que as histórias sempre foram inerente à humanidade. Histórias de todos os tipos, sobre todos os tipos de coisas.

O homem quase sempre se reunia com os seus semelhantes à volta de um bom fogo para se aquecer. Era virtualmente impossível prever quando as histórias iriam surpreender, mas, de repente, elas surgiram com vigor transformador.

Histórias engraçadas

Histórias engraçadas costumam ser as mais gostosas e todos adoram uma boa risada. Muitas vezes elas vêm acompanhadas de música e narrador, cujo papel se utiliza de carisma e criatividade própria, em alguns casos respeitando a tradição de narrativas anteriores ou mais antigas.

A contação de histórias engraçadas faz uso de vocabulário próprio muitas vezes, e também requer certa expressividade corporal e de entonação da voz para transmitir a emoção ou o subtexto esperando pelo entendimento do ouvinte.

Agora uma coisa nessa questão é que a própria história das piadas é interessante. Ninguém sabe de onde veio a primeira piada, mas sabemos que existem piadas há milhares de anos. É uma maravilha o fato de as piadas existirem há tanto tempo – e talvez o segredo seja que elas unem as pessoas com muita facilidade.

Histórias bizarras

A contação de histórias bizarras é um elemento da cultura oral que consiste na narrativa de histórias improváveis e tem como característica marcante a apresentação de argumentos com finalidades lúdicas, poéticas e educativas, com o intuito de instilar o gosto pela literatura entre as pessoas.

A contação de histórias bizarras pode estar entre as mais divertidas e bem sucedidas formas de extravasar essa maravilhosa vida mental que dispomos. Não é a mesma que praticava a nossa avó, que nos contava como que ela era um anjo no céu. Na verdade estou falando de uma forma super bem-humorada de contar histórias.

Contar histórias bizarras também é uma forma educativa de reflexionar sobre a vida, com um longo prazo de vida para registrar tudo. É uma forma interessante de organizar os eventos do tempo, de complicar as coisas, de mostrar aos outros a importância da vida.

Porém, as histórias bizarras não são todas simplesmente divertidas. Podem ter consequências para a vida do contador de histórias, principalmente se ele é o autor, por isso é importante saber lidar com a influência que esse tipo de histórias pode ocasionar nos ouvintes.

Histórias antigas

A contação de histórias antigas é uma das mais antigas artes do mundo. Ela data de mais de três mil anos. O papel social da contação de histórias era educar as pessoas acerca das questões morais e os valores de uma sociedade. Também se lhes ensinava acerca de suas origens e da estrutura social. A contação de histórias antigas provavelmente evoluiu a partir da demonstração simbólica da história oral. Esse tipo de comunicação pedagógica provavelmente teve seu auge no período antigo. Apenas um século atrás, a contação de histórias era usada pelos governantes para mostrar a opinião pública.

Sabemos que contar histórias é uma prática humana universal. Nós todos gostamos de boas histórias, mas não apenas qualquer história nos interessa. Escolhemos nossas histórias por dois fatores principais: a qualidade e a importância da história. Uma história não é só uma história, ela é uma mensagem que deve ser transmitida a outra pessoa. Esta pode ser uma mensagem de amor, motivação, esperança, ou qualquer outra mensagem que o autor da história dirige para o seu ouvinte.

Você já deve ter ouvido o velho ditado de que devemos “viver cada dia como se fosse o último”. Embora possa alguém achar que isso nem sempre seja verdade, podemos convir que todos devemos “fazer de cada dia o nosso melhor dia!” E para isso, precisamos de uma atitude boa, saudável e muita motivação para nos mantermos no caminho certo. Nisso reside a essência de contar histórias visando transformar a nossa visão estreita de alguma coisa.

Histórias assustadoras

Há quem diga que os contos de horror são extremamente emocionantes para contar. E há tantas histórias assustadoras para escolher, mas há também elementos recorrentes nesse tipo de histórias. Por exemplo:

  • Um cara que não acreditava em bruxas;
  • Um cara que não acreditava em fantasmas;
  • Um cara que não acreditava em vampiros;
  • Um cara que não acreditava em zumbis;
  • Um cara que não acreditava em monstros.

Mas também é possível fazer algumas perguntas para ajudar na ampliação das possibilidades de se contar histórias assustadoras:

  1. O que faz uma boa história assustadora?
  2. Quais são alguns dos elementos de uma boa história de terror?
  3. O que te assusta?
  4. Quais são algumas das coisas mais assustadoras que você leu ou ouviu?

Refletindo sobre isso, eu posso dizer que quando eu era um menino eu sempre sentia medo. Um pouco de horror. Sonhava que estava sendo raptado por um alien e acordava dizendo que alguém estava na porta. Em um pesadelo, eu entrei em pânico quando, em um campo de arroz, eu pensava que uma lagarta de arroz gigante queria comer-me (eu era muito pequeno naquele tempo para saber que uma lagarta gigante não pode comer alguém). Mas a coisa que mais me assustou foi quando um amigo contou-me que um fantasma estava em seu quarto … e aí eu não pude dormir durante uma semana!

Em resumo

Histórias de um jeito ou de outro são interessantes e quem sabe contá-las tem talento e empatia para envolver os ouvintes na contação de histórias.

O contador de histórias, um típico personagem da cultura oral, é um narrador que se expressa principalmente através da fala, que intercala versos com dados históricos, lendas e anedotas de um tempo. Mas o contador de histórias deve possuir boa memória para poder reter e recontar seus episódios.

No fundo cada um de nós sempre tem alguma coisa boa para contar aos outros – e ruins também -, mas o melhor é optar por construir transmitindo mensagens enriquecedoras. Assim quem sabe podemos apostar que a vida de alguém poderá ser transformada através dessa história. É uma esperança do tipo “concreta”, é ou não é?

 

Cover for Letrascri
306
Letrascri

Letrascri

Publicações e conteúdos digitais para diferentes suportes. Negócios digitais para o seu negócio

Comments Box SVG iconsUsed for the like, share, comment, and reaction icons
Carregar mais

 

Fique Conectado

Conteúdo sempre atualizado

Translate »