logo
Whatsapp Chat
Envie uma mensagem que lhe retornarei tão logo seja possível.
Menu Fechar
pt Portuguese

Assuntos
da Escrita

Assuntos da Escrita

A escrita é uma arte antes de tudo. Expressar o que se entende da realidade dentro de certas esferas exige bastante. Assim questões como: Por que escrever? Como escrever? O que escrever? Quando escrever? Onde escrever? – podem se fazer urgentes!

Escrever é um trabalho que exige o tipo de criatividade “faça você mesmo”, mas também precisa de um pouco de planejamento.

Escritores precisam planejar o que eles estão escrevendo, bem como planejar por onde conseguirão seu dinheiro.

Isso certamente é verdade quando falamos de escritores individuais que escrevem livros, poemas ou contos e também para aqueles que trabalham para a mídia como televisão, cinema e incluindo aqui também o teatro.

Mas também podemos incluir dicas valiosas para quem quer começar a trabalhar com a escrita, visto que é uma atividade que atrai muitos assim como repele tantos.

Boas dicas para iniciantes, podem incluir:

Mas uma coisa é escrever, outra é reescrever. No entanto trata-se de uma atividade muito importante porque faz parte da atividade do escritor/redator. E ela também tem a sua lógica e passos visando traduzir seu texto de uma maneira clara, objetiva e funcional.

Por exemplo, reescrever uma matéria para um blog ou coluna de notícias. A “primeira mão” é colocar as ideias de forma direta e objetiva, mas é preciso uma “segunda mão” (ou mais dependendo do texto), a fim de que o texto esteja pronto para uma publicação.

Um blog pode ser o começo de quem quer escrever

Não existe uma receita para sucesso. Você pode tentar fazer seus produtos ou serviços se destacarem, ou pode tentar fazer seus clientes se sentirem especiais. Você pode também ser um voluntário do Terceiro Setor e pode ainda fazer com que seu nome ou o nome de sua empresa seja admirado, porque preza os pilares da criação do empreendedor, resultando em produtos satisfatórios que se traduzem em clientes satisfeitos. Mas, qualquer seja o caminho que você escolher, você precisará de uma estratégia sólida e planejamento, não apenas para você obter o sucesso pretendido escrevendo, mas para construir um caminho mais ajustado de crescimento profissional.

Nessa linha, um blog pode ser uma opção de muitos escritores que gostam de escrever. Isso porque os blogs são fáceis de montar, e em alguns casos nem custo envolvido há. O sistema WordPress é um exemplo de tecnologia de código aberto, acessível a todos.

Os blogs são uma excelente maneira de compartilhar sua escrita com o mundo. Se você quer produzir seu melhor conteúdo para um nicho ou segmento, criando com isso uma autoridade, será uma boa decisão desde que arregace as mangas para fazer isso.

Um dos maiores benefícios dos blogs é que os blogs são muito fáceis de encontrar na Internet, sobretudo com o uso dos snippets inteligentes que potencializam os cliques nos links.

Escolher temas bacanas para criar um blog de respeito é só uma parte de um projeto, mas não deixa de ser interessante buscar esses temas. Isso na realidade faz parte do trabalho do copywriter, que está sempre em busca de palavras-chave e estratégias de marketing para escrever textos atraentes e convincentes

Há desvantagens também, pois nos casos dos blogs é preciso tempo e esforço para produzir conteúdo de qualidade e que tenha relevância para os usuários em relação a algum tema ou assunto de interesse. Assim, profissionalizar-se nesse campo requer que um redator alcance o ponto de equilíbrio na produção de conteúdo. É como estabelecer alicerces sobre os quais encontrar esse equilíbrio. Nesta balança pode ser colocado o digitador de marketing online, um profissional que pode executar diversas tarefas para aumentar a produtividade de um negócio ou website. 

No mundo da produção de conteúdo no Brasil, o ponto crítico é estabelecido em cinco pontos principais:

  1. A qualidade do material produzido.
  2. O foco do material produzido.
  3. A qualidade da escrita do material produzido.
  4. O uso adequado da linguagem.
  5. A apresentação adequada do material produzido.

A atividade de escrever blog requer portanto uma somatória de conhecimentos intercambiantes que, ao fim e ao cabo, são determinantes para os bons resultados.

Criar um ebook para atrair a atenção do seu público, oferecendo um conteúdo especial, pode alavancar a construção de uma lista de contatos futuros por exemplo.

No campo da descoberta pessoal, posso dizer que aprendo muito escrevendo sobre escrever. Este blog é construído sob esse vértice. 

O certo é que foi uma maneira que encontrei de melhorar as habilidades da escrita corrigindo meus erros. Não que não mais os cometa (quem sou eu?), mas a confiança aumentou a ponto de poder compartilhar com os outros aquilo que aprendo escrevendo. Sem medo de errar posso dizer que escrever artigos é uma experiência totalmente gratuita. O trabalho  pode ser compensado pelo aprendizado constante de temas e assuntos dos futuros artigos e, no fim das contas,  zera essa contabilidade.  

Vale adicionar que temos ainda o componente motivacional da escrita. É que quanto mais eu leio palavras de motivação, mais sinto desejo de transmiti-las dentro do escopo do meu trabalho como copywriting e escritor. É o motor desse trabalho.

Contudo é preciso dizer que a escrita de um blogueiro não se limita às ideias e ao desenvolvimento de conteúdo útil para o seu segmento, ou de seu negócio, mas, também, implica em que conheça técnicas de otimização como por exemplo as simples palavras de transição SEO e o que pode fazer uma campanha SEO dar certo. 

Além disso otimização para busca (SEO On Page) consiste em ajudar os motores de busca na entrega de sites relevantes em seus resultados de pesquisa.

Esse conjunto de técnicas vem sendo utilizadas por muitos anos e é um recurso mais eficaz do que a estratégia de link building antigo.

No entanto, muitas empresas e profissionais ainda não sabem ou não estão utilizando otimização para busca para otimizar seus sites.

Vale ter em mente que o objetivo do SEO é colocar sua página no topo dos motores de busca assim como melhorar a introdução e as taxas de clique em seu site ou blog.



Melhor Escrever

Essência Criativa

  • Há sempre um movimento linear na escrita criativa. Quando o Blog surgiu na internet talvez não fosse possível prever que sua vida útil seria tão larga, e, ainda, que fosse interessante compilar textos breves que pudessem compor um livro digital.

     

  • O Letras Criativas nasceu da atividade literária do autor Felipe Moreno, que escreve para vários formatos. Nesta edição, a ideia foi lançar o primeiro pequeno ebook com alguns textos que remontam o início de um blog pessoal do autor e que podem, em algum grau, dar uma ideia da “essência criativa” que envolve o autor em seus escritos.



Os temores da folha em branco

É preciso considerar um ponto importante quando o assunto é escrita:  o temor da folha em branco.

Na verdade isso parece um “rito de passagem” que afeta cada escritor em seu nível de desenvolvimento literário em praticamente todas as linhas da escrita.

A dica para escapar dessa sutil armadilha é ter em mente que todo bloqueio criativo pode ser chutado para escanteio, de acordo com a vontade do escritor.

Mas como isso é possível?

Uma tática que funcionou comigo, por um determinado tempo, foi conversar com um amigo que também escreve. Isso ajudou a aliviar a ansiedade que o próprio bloqueio insistia em trazer.

Porém há conhecimento acerca do que vem a ser um certo tipo de bloqueio sob a ótica da Psicologia:

O bloqueio é um instante em que seu cérebro desaparece. É a parte em que seu cérebro simplesmente desliga sobre você e suas ideias. Mas, só para você saber, bloqueio não é o único conceito cognitivo com o qual lidamos. Também existe o bloqueio emocional, que também é um estado emocional que impede o desenvolvimento de uma ideia. O resultado do bloqueio geralmente é desânimo. Que também é um estado emocional ou sentimento.

Isto pode ser um problema, mas nem com todos pode isso se refletir verdadeiramente.

A Ciência sempre traz algum alento nessa área em que aparentemente algum tipo de bloqueio se mostra mais renitente. 

A Programação Neurolinguística para aumentar o poder da escrita já vem sendo testada e é um bom exemplo de sólido conhecimento que trabalha na direção da eficácia autoral na escrita, proporcionando técnicas e atenção ao que pensamos durante a atividade redacional.  

Mas é preciso considerar também que escrever é um processo em que a alma está plenamente envolvida na ação.

Aqui opera a escrita da alma que é um processo em que você escreve sem julgamento. É um exercício que promove a autorreflexão conforme você reflete sobre sua vida, a vida de outras pessoas e o mundo como um todo. Já estamos além da fronteira da PNL, pois ganhamos a alma efetivamente. Tomamos nossa mente e desencadeamos uma força na direção de um fim. E seja por onde for, o escritor terá a sua mente como companhia, forte e positiva! Ele necessita de um forte aliado no desafio da escrita.

Na realidade, todos temos uma escrita da alma, um texto escrito no interior de cada um de nós. Nem todo mundo tem o hábito de ler essa escrita, mas ela sempre está ali, com sua história, sua verdade. Por vezes, essa escrita é feita de palavras. Outras, de sinais. Poucas coisas do mundo podem fazer o leitor se sentir tão inteiro, tão vivo e feliz como a leitura da escrita da alma.

Ainda sobre leitura, há livros que fortalecem a pessoa a buscar conhecimento e a falar bem, com desenvoltura. Isto tem um nome: eloquência. 

Na realidade, buscar conhecimento e aprender como falar com eloquência são atitudes pró-ativas que permitem uma mudança de nível da pessoa. Trata-se de um processo de buscar conhecimento em livros que facilitam compreender essa questão, de modo que a pessoa pode então galgar a condição de escrever e falar com desenvoltura, envolvendo a linguagem corporal e a linguagem verbal.    

Clique na imagem, leia e ganhe prêmios!

Vencendo na Quebrada, de Felipe Moreno É a história de um jovem da favela que vai melhorando seu comportamento depois de ir passando por experiências que vão marcando sua trajetória em busca de um lugar ao sol.

Ser persuasivo também é ofício da escrita

texto persuasivo usa vários métodos de persuasão. Seu objetivo é provar que a ideia está correta.
Para tanto, são utilizados métodos que incluem:

  1. raciocínio: forma de justificar um argumento com raciocínio lógico;
  2. uma analogia, ou seja, uma comparação de duas situações diferentes para mostrar que dois eventos compartilham semelhanças e, assim, tirar conclusões;
  3. retórica, que é usada para se comunicar de maneira convincente. Esta palavra vem do grego e significa mostrar força e superioridade intelectual. Portanto, a retórica é a arte ou ciência de exibir inteligência brilhante.

No tipo de texto persuasivo, o autor usa técnicas como explicação de fatos, estatísticas e apelo emocional para apresentar o argumento de um texto convincente.

Textos persuasivos servem como meio de comunicação para convencer o leitor a aceitar ou rejeitar determinada opinião. E isso nos remete a entender os 7 tipos de propósito comunicativo que estão no âmbito da comunicação como um todo. 

O objetivo do autor é fazer com que o leitor aceite seu argumento de forma a se convencer do que foi dito. Mas é importante notar que persuasão tem a ver com rápido entendimento. Conseguimos ser persuasivos quando temos bons conhecimentos do que estamos tentando transmitir, vender, divulgar, etc.

Portanto, desenvolver essa qualidade de persuasão tem a ver com entendimento, e isso tem estreita relação com leitura. Por que ler é fundamental na vida? Porque é preciso entender as coisas que lemos primeiramente, para, depois, fazer uso do conhecimento aprendido. Esta é a ordem natural e, quando aplicado na prática, permite que a pessoa colha bons resultados. 

A pessoa e sua escrita pessoal

O bom na atividade de escrever é que se vai descobrindo formas de explorar a escrita pessoal.

A forma mais comum para se explorar a escrita pessoal é começar com o que você está sentindo no momento. 

Você pode escrever sobre o que você está fazendo, pensando, dando talvez letras e palavras aos seus sentimentos, investindo um pouco de você naquilo que talvez o esteja incomodando. E nesse processo é possível observar há uma relação entre pensamento e linguagem. Não é possível pensar sem palavras, nem palavras sem vozes, sujeito nem objeto.

Isso envolve o próprio desenvolvimento da linguagem. É certo que a maioria dos pais concorda que os filhos que leem parecem desenvolver maior aptidão para a linguagem mais cedo. Suas habilidades de vocabulário são aprimoradas e eles aprendem a compreender melhor o texto. Assim, à medida que envelhecem, a leitura estimula sua imaginação e desenvolve habilidades de pensamento crítico. dessa forma, aumentam as probabilidades de ter sucesso na escola e na vida.

Então escrever é uma forma de expressar nossos sentimentos, mostrar nossas emoções. A escrita é um exercício de imaginação que podemos moldar para nosso gosto. Não importa se você é bom ou ruim, apenas tente escrever!

A arte pode ser definida como sendo a forma de expressão do homem por meio de processos que envolvem a criação de obras capazes de causar alguma emoção ou impressão em seus receptores.

Portanto, a expressão artística é um caminho para o seu artista interior. Quem sabe através dela você consiga transmitir mensagens que possuem uma grande carga emotiva. Ainda que os meios de exposição sejam muitos, a arte é uma forma divertida de expressar ideias, pensamentos e sentimentos.

Sendo assim,  um indivíduo pode obter mais habilidade para escrever, fazendo-o de modo mais natural, construindo o hábito de escrever sem forçar.

A questão de compartilhar pensamentos com outras pessoas muitas vezes nem está na ponta do interesse do autor; pode ser que queira falar um pouco sobre um assunto e tecer sua opinião, mais como uma expressão do si mesmo no planeta, de uma pessoa de carne e osso e sensível às agruras de todo mundo.

Nessa linha de compartilhamento, não basta na sociedade moderna que uma pessoa tenha muitos talentos para ter sucesso. No campo da escrita, um desses talentos é ser um autor autopublicado. Para isso há o livro digital cujo custo é muito inferior à produção de um livro físico. É escrever e deixar que o software ajude na produção de sua obra.

O escritor profissional e suas atividades

Escrever profissionalmente é desejo de muitos que encontram na palavra um modo de expressar sua criatividade e imaginação. Aliás, vale dizer que a máxima que diz que a imaginação é mais importante que o conhecimento tem enorme peso quando o assunto é a escrita profissional, mesmo nas atividades como o jornalista investigativo, que precisa ter o potencial de mostrar a realidade de uma situação e ajudar as pessoas a entender o que está acontecendo sem abrir mão da sua capacidade de contar uma história.

Por exemplo, o roteiro de cinema é um instrumento feito de palavras, descrições, indicações de câmera, anotações outras e diálogos dos personagens.

Um roteiro de cinema é usado para organizar a narrativa, estabelecer as cenas da história, os trechos de diálogos, os momentos musicais, e o comportamento dos personagens em cada cena.

O roteirista é a pessoa responsável pela redação do roteiro. A diferença entre o roteirista e o dramaturgo, por exemplo, é que o roteirista foca no que vai acontecer na sequência, descrevendo o que a câmera vê, ao passo que o dramaturgo tem interesse em desenvolver a situação dramática primordialmente.

Claro que o roteiro de cinema é diferente de outros tipos de roteiro, de livros, de teatro, ou mesmo de  televisão ou rádio, sendo que nele existem alguns pontos que vale destacar:

  1. A) as ideias principais da história; B) um enredo principal, que é a sequência das ideias principais – C)  um plano de fundo onde os personagens se verão inseridos a fim de viver seu destino na história.
  2. Os roteiros devem ser objetivos e bem desenhados dentro da linha do tempo dos acontecimentos, que pode ser feita a partir de uma lista ordenada dos fatos, muitos dos quais baseados em fatos anteriores e muitas vezes nem conhecido do público, mas que fazem parte da premissa da história e dos personagens. Isso pode ser parte da vida pregressa de um ou outro personagem importante na narrativa.
Importante dizer que tanto a literatura quanto o cinema não prescinde do foco narrativo, que canaliza a narrativa dentro de um ponto de vista específico e escolhido pelo autor da história para um personagem principal por exemplo.
 

Mas pode ser diferente se a ideia for escrever histórias cruzadas em que histórias de personagens de culturas distintas concorrem paralelamente porém se integrando ao plot principal.

 
A simbologia para a compreensão dos aspectos que moldam o conjunto narrativo é extensa. Por isso os arquétipos auxiliam bastante e pelos quais podemos reconhecer personagens em sua variedade, bem como energias diferentes ao longo de uma história. Pode haver um Ícaro e ele está em uma missão para derrotar o Senhor das Trevas e trazer paz ao seu mundo. 
Lembrou-se de alguma coisa parecida?

Talvez Édipo, personagem do teatro que matou seu pai sem saber que era seu pai, um herói grego que é perseguido por um destino impossível. Édipo possui um destino que já foi prenunciado por um oráculo.

Mas o roteirista pode ser um ghost-writer, isto é, um escritor-fantasma que dá os créditos a outrem?
Sim, na realidade o que roteirista faz é quase isso, isto é, escreve histórias para outros profissionais, tendo seu papel restrito a iniciador de um projeto de filme que pode ser ou não bem sucedido ao final como um produto audiovisual.

Vastas são as áreas onde pode trabalhar um escritor ou redator, levando-se em conta os seus dons com a linguagem.

Roteiro de humor também é outra forma profissional de escrever. Um bom stand-up não abre mão de um script bem concatenado, com piadas, silêncios, tons, etc. Ou seja, escrever piadas engraçadas segue um roteiro bem definido, com objetivos claros que vão desde a extensão do quadro até partes específicas do conteúdo humorístico.

Assim, portanto, vamos encontrar uma gama extensa de escritores que vão seguindo as ramificações de seus dons com a palavra escrita, como por exemplo, aqueles que escrevem livros, blogs, scripts audiovisuais, e também os que colaboram para jornais e sites, ou trabalham em agências de publicidade.

Escritores independentes têm se mostrado bastante atuante no mercado editorial.  O sucesso pode vir quando se dedicam a escrever novas histórias, quando permanecem ativos, cuidam do marketing e da forma como falam sobre a escrita. Quando esses escritores começam ou terminam um livro, manter um blog é uma boa maneira de promover o livro. Isso é uma realidade para muitos que encontram na autopublicação uma maneira de continuar produtivos e atualizados nos meios digitais-tecnológicos. Para isso, uma ótima pedida é a Amazon eBooks – que oferece uma plataforma intuitiva para autores independentes.

Escritores de ficção gostam de desafios novos, estão sempre antenados a uma boa situação dramática, ou de olho em um conflito potencial que pode conduzir personagens ao seu fatum. Podem enfrentar bloqueios durante o percurso, mas a mente aberta é o recurso mais eficaz para escapar deles.

Os romancistas, por exemplo, encontram em sagas familiares a inspiração para desenvolver um enredo longo e marcado por épocas. Pode contar uma história atravessando gerações, sendo que geralmente é contada na primeira pessoa com breves referências a outros personagens.

São obras desse gênero que inclui situações românticas e tensões de forma a apelar aos sentimentos dos leitores. 

A propósito, gêneros como realismo, gótico e modernista têm se revesado nos séculos mais recentes, mostrando a tipologia de escritores, suas escolhas e inclinações no desenvolvimento de suas principais obras de ficção.

A história precisa ser fascinante e memorável, o que pode não ser fácil, porque acontece de haver necessidade de desenrolar tramas que levam a outras e assim por diante.

Vale notar que há as biografias de personalidades notáveis e sobre as quais pousa o interesse de leitores ávidos por inspiração

Mas voltando aos fundamentos de uma história, é importante que haja um bom equilíbrio entre o protagonista, o herói e o antagonista, de modo que a história naturalmente transcorra como um documentário, sendo altamente recomendável que tenha um final feliz. Podem ser histórias de amor com um final feliz, como o público leitor geralmente gosta. Mas não custa ressaltar a importância das histórias que ensinam valores – moral da história

Do ponto de vista prático, é necessário definir uma data para a conclusão do romance com um cronograma realista, incluindo as pausas de distanciamento e relaxamento. 

Mas vale ter em mente que há trabalhos para escritores que vão exigir escrever sobre assunto desconhecido

Isso é comum em muitas atividades da área, como é sabido, mas há casos em que é preciso estratégias para levar a cabo com sucesso determinado trabalho de escritura de um texto.  

Contudo, há autores que vão escrever sobre algo muito conhecido deles: ele próprio ao fazerem uma autobiografia. Difere do livro de memórias, que é uma forma de deixar para as gerações futuras um registro da sua vida e que geralmente é escrito por outra pessoa que não o próprio autor.

A alma no comando das ações

Inspirado por Vitória

Fernando Pessoa escreveu que “para escrever bem é fundamental escrever com alma”.

Escrever com alma tende a se revelar como um processo gratificante e transformador na medida em que o escritor se torna vulnerável ao se expor aos outros e a ser verdadeiro consigo mesmo.

Significa estar aberto ao mundo e deixar o mundo entrar. Significa dar algo – compartilhar um pedaço de si mesmo, uma história, uma reflexão, um poema, um artigo de cunho pessoal, e assim em diante. 

É mais ou menos como transformar em palavras a chama viva de seu coração

Na real, é fundamental escrever com alma. escrever como se estivesse sozinho. Você tem que evitar criar frases sem sentido e que não conduzem a lugar algum. Assim, você será capaz de construir canais que levarão à sua própria forma de expressão. É importante que você tenha clareza e transmita bem o que está pensando ou formulando com suas ideias.

Um bom exemplo de escrever com alma é o músico que precisa escrever a letra da música e a melodia como se equilibrasse a harmonia das batidas de seu coração. 

A palavra faz o quê? 

Penso que todos nós sabemos a resposta a esta pergunta. Nasce, vive, o sentido é sinuoso. Ou, ainda, representativo. Como a escrita Katakana, do japonês, cujo alfabeto representa palavras estrangeiras que foram adotadas no idioma japonês. 

A palavra faz muitas coisas. E o mesmo acontece com a escrita da alma. A palavra é usada em muitos contextos diferentes e igualmente apresenta significados diferentes. Ela pode ser usada como um verbo em uma frase e geralmente pode ser usada como um substantivo. Ela também é usada como um imperativo. Pode iniciar uma frase que irá revelar a moral da história.  

Mas por que escrevemos? 

Não é uma pergunta simples.  Há muitas respostas; pessoas podem escrever de coisas que as incomodam, outros já querem enviar uma mensagem política, social ou religiosa. Há também quem escreva profissionalmente, e aqui talvez se corrija a pergunta para “o que escrevemos?” e vamos colher amostras de perfis de tudo quanto é tipo.

Certo mesmo é que histórias para escrever não faltam, você pode começar pela ponta do sapato e ir subindo na descrição de um personagem diferente, quem sabe uma pessoa que você gostaria de ser um dia em imaginação.  Pode ser aquilo que podemos chamar de descobertas na escrita, quando um novo fluxo de ideias vindas de um lugar insuspeito chega até você. 

Mas fato é que histórias para escrever não faltam. O desafio estará sempre lançado a todos os que amam a palavra que voa e atravessa todas as fronteiras do conhecido

A verdade é que se não houver um bom aprendizado na escola, fica mais difícil formar bons leitores e escritores.  Durante a infância a mente está limpa, cristalina, mas aprender a ler e escrever não é uma tarefa simples porque a criança aprende brincando muitas vezes. Tanto é verdade que jogos que estimulam a leitura e escrita são utilizados como complementos da própria alfabetização escolar. 

O que sabemos é que a formação individual passa obrigatoriamente por oferecer condições eficazes e democratizadas a toda a população infantil, não apenas para famílias mais abastadas que têm o privilégio de possuir as melhores condições para darem a seus filhos durante sua formação básica.

Por que a escrita é essencial na vida

É inevitável reconhecer o poder da palavra escrita, mas por trás de toda palavra escrita há um redator. Certamente, ele ou ela escreve para transmitir uma mensagem, passar uma informação, ensinamento, conto, etc.

Escrever é essencial na vida porque somos seres linguísticos. É com a linguagem que comunicamos o que sentimos, pensamos e desejamos. Mas nem todos obviamente tem o desejo de escrever, ou se sentem à vontade com isso. 

Certamente é a minoria que escreve no mundo segundo estatísticas. Diz uma pesquisa que há dois milhões de escritores no mundo e que apenas 900 mil têm sua produção formalizada em livros. Quando se contabiliza o número de pessoas que escreve um livro todos os anos, são 16 mil. Pode-se dizer que é essa a realidade.

Cada pessoa tem seu talento para ser escritor, mas o problema é que muitos poucos vão levar adiante esse intento por “n” razões que não vêm ao caso neste artigo.

Mas escrever é essencial no sentido de poder ampliar horizontes com a própria imaginação, com as ideias que formam na mente e que podem ser até mesmo catárticas.

Também vale sempre ressaltar que existe estratégia para trabalhar os pontos fortes e fracos na escrita, de modo que escrever é um processo progressivo pelo qual vai se galgando níveis de qualidade em se tratando de vários aspectos condizentes à escrita.

Quando se trata de qualidade, há muitos aspectos a serem considerados. Na verdade, alguns aspectos são mais importantes do que outros. 

O que as pessoas querem saber é quão bem o seu trabalho está escrito – quão fluente você é na língua, como a gramática se comporta, como as estruturas das frases são sonoras, etc. 

Eles também querem saber como você apresenta seu trabalho. A escrita é desleixada e difícil de ler? Ou é mais limpo e organizado? Você usa mais ou menos pontuação? 

Há mais questões questionavelmente importantes, mas há aquelas que perguntam como é a facilidade de entender o que você está tentando dizer, ou se está plagiando ou não, ou que tipo de pesquisa que você fez. Isso tudo é a complexidade que faz do ofício um desafio tremendo.

Outro desafio importante é colocar na balança ampliar horizontes na escrita. Um dos exemplos mais contemporâneos é a Inteligência Artificial, cujos desdobramentos já são sentidos em diferentes campos do conhecimento humano. 

Assim, robôs-autores já têm sido objeto de experimentos e testes na literatura, o que torna pujante a questão – A inteligência artificial pode melhorar a literatura? 

Sim ou não tem pouca importância quando entendemos que a inteligência artificial chegou para ficar em muitas áreas tidas como “apenas para humanos”.  Mas é na pesquisa e na busca de soluções as mais diversas que a AI tem se mostrado ainda mais eficiente. Informação atualizada por meio de diversos canais confiáveis, que trafegam na mão contrária do “fake news”, como por exemplo o Google Notícias, nos dá a dimensão do que já temos à disposição e para onde estamos caminhando quando o assunto é inteligência (humana e artificial). 

Essa interação homem-máquina vem sendo uma das grandes características da web, diferente de redes baseadas no computador, que é a capacidade de interação entre os sites e as pessoas, pois você não está ligando apenas para uma fonte dada, mas para um grande número de fontes o que permite a conexão destas pessoas com um ponto comum.

Por trás dessa interação estão programadores, designers, redatores entre outros. 

Pode ser que a linguagem que se utilize aqui então não seja a literária, mas a de códigos, que faz parte do mundo da linguagem de programação, mas o certo é que em todas as linguagens o objetivo final é criar interação entre as pessoas, aumentar o entendimento e a compreensão da realidade.

Letras criativas vai mais longe

A verdade é que quando se trata de letras e palavras que vão dando sentidos ao que se escreve, mais sabemos que não sabemos muita coisa.

Por exemplo, SEO. Isso significa System Engine Optimization no inglês e que mais ou menos traduzido para o nosso vernáculo diríamos tratar-se da otimização de um artigo ou post para os mecanismos de busca. Esta otimização pode ser considerada chave quando pensamos em construir uma audiência online. As buscas na internet são fator crucial para isso, claro que aliado a  outras estratégias.  

Há escrita de SEO também, pois, além do Copywriting (escrita para blogs) é preciso aplicar certas técnicas de SEO nos artigos, para que os mecanismos de busca possam achá-los através de seus robôs que passam pela WEB.

Por isso, antes de escrever recomenda-se pensar em  pesquisa de palavras-chave para seus textos, visto que é através delas que os mecanismos de busca poderão classificar os sites e blogs na internet de acordo com métricas específicas e, dentre elas, a relevância. 

Mas não para por aí, pois há estudos mais específicos sobre arquitetura da informação e UX (User Experience ou Experiência do Usuário) que mostram que uma boa estrutura de informação permite o acesso organizado, mais dinâmico e de maneira objetiva para o objetivo que a informação foi criada. 

Tecnologia da informação, portanto, é definida como qualquer dispositivo ou software, ou qualquer técnica que permite ou facilita a obtenção, armazenamento, utilização ou entrega de informação. Ela é usada na comunicação digital, onde as mensagens e informações são enviadas e recebidas, armazenadas e processadas por meio de computadores e seus respectivos aparelhos, equipados com tecnologia da informação, como televisores, celulares, comodidades domésticas, entre outros.
 

No caso de um blog de conteúdo e sua visibilidade é imprescindível que se escreva SEO em cada artigo para que os mecanismos de busca na internet entendam a informação que está sendo transmitida e a sua forma, de modo a classificar o artigo em função de sua relevância e, hoje, ainda mais, em função do que ele oferece em termos de experiência do usuário.

Claro que há técnica envolvida nessas atividades, mas muito se faz com criatividade. Muitas vezes temos que pensar fora da caixa para conseguir alguma coisa nova, mesmo que o assunto ou objeto do texto esteja batido. Mas sempre é um modo de desafiar a mente a sair da zona de conforto dos próprios pensamentos e encontrar outras visões para o mesmo tema ou assunto.

Assim, importa aumentar a criatividade e um dos modos de estimular essa parte tão essencial do indivíduo é a arte de colorir letras criativas

A atividade de trocar cores para escrever, ou colorir letras, é uma atividade divertida que pode ser feita para o trabalho, para o ensino, para o entretenimento, ou mesmo para representar diferentes sentimentos.

E se estamos falando de letras criativas, não podemos esquecer das letras caligráficas, que fazem parte do que é conhecido como tipografia criativa.

A tipografia teve um aumento recente de popularidade, com uma variedade de fontes criativas.

Fontes criativas podem ser tipos de fontes e letras que parecem estar em perspectiva.

Letras Criativas também é o nome de nossa empresa e projeto. A inspiração veio do fato de escrevermos com foco na liberdade da inspiração literária formada pelo universo da linguagem criativa. 

A motivação de escrever é um exercício diário. Precisa de disciplina, vontade e compromisso. Esse é um trabalho cujo ofício é construir castelos que se mantenham firmes em seu propósito: ser o lugar de nossa morada inventiva e imaginativa.