A inferência é o processo de tirar conclusões a partir de evidências e raciocínio. É um elemento fundamental do pensamento crítico e da investigação científica. Inferir nos permite fazer deduções, chegar a conclusões prováveis e preencher as lacunas em nosso conhecimento. Quando inferimos, usamos informações que já temos para tirar conclusões sobre o que não conhecemos. Em muitos casos, inferir é a única maneira de chegar à verdade.

Na realidade, inferência é o processo de chegar à verdade através da análise de evidências. É um processo lógico que nos permite chegar às nossas conclusões de forma sistemática e racional. Ela pode ajudá-lo a deduzir melhor porque lhe dá acesso a um processo lógico de análise de evidências. Seguindo este processo, você pode chegar às suas conclusões de forma mais clara e precisa e, com isso, melhorar seu entendimento sobre um tema.

Quando você consegue inferir melhor, reduz os erros de compreensão que causam preconceitos e atitudes negativas. Ao analisar as evidências e raciocínio de um tema, você pode tirar conclusões mais precisas. Isso pode ajudá-lo a entender melhor as coisas e a ter uma atitude mais aberta em relação a grupos e indivíduos.

Enquanto estiver fazendo análise de evidências, é importante manter as ideias e opiniões que já tem sobre o assunto em questão. Isso porque analisar evidências e raciocínio não significa que você tem de chegar a uma conclusão diferente. Significa apenas que deve ter certeza de que entendeu bem o assunto e as suas implicações.

Em muitos casos, é preciso levar em consideração uma série de evidências antes de poder inferir melhor sobre um tema. Há também casos em que uma única evidência pode fornecer todos os dados necessários para chegar a uma conclusão. Em qualquer caso, é importante buscar informações confiáveis quando precisar analisar evidências.

Inferência estatística

Sendo então a inferência um processo de tirar conclusões com base em evidências e raciocínio, torna-se ferramenta fundamental em estatística, e seu uso pode ajudá-lo a chegar a melhores conclusões.

Ela baseia-se na ideia de usar uma amostra para estimar um parâmetro populacional. Em outras palavras, usa informações de um subconjunto de uma população para fazer declarações sobre toda a população. Esse processo é conhecido como raciocínio indutivo.

Existem dois tipos principais de inferência: inferência estatística e inferência matemática. A primeira estatística é usada para tirar conclusões sobre uma população com base em uma amostra. Este tipo é amplamente utilizado no campo da estatística.

A inferência matemática, por outro lado, é usada para deduzir verdades sobre um sistema matemático baseado em um subconjunto de um conjunto de dados.

A inferência estatística pode ser usada para fazer declarações sobre distribuição de frequência e variância, médias e distribuição de frequências, coeficiente de variância (CV), coeficiente de determinação (COD) e erro padrão de estimativa (PE).

A partir disso, é possível perceber que há uma série de ferramentas estatísticas que podem ajudá-lo a fazer uma análise mais profunda das suas amostras, com ajuda de algum software por exemplo.

Inferência a partir de leitura de textos

Inferir é uma ação de tirar conclusões com base no que é conhecido. É uma ferramenta poderosa que pode ajudá-lo a deduzir melhor a partir de textos. Ela pode ser usada para encontrar soluções para problemas, fazer previsões e entender informações complicadas. A capacidade de inferir é uma habilidade valiosa tanto em ambientes acadêmicos quanto no mundo real.

Ao inferir, você está usando seu conhecimento prévio e habilidades de raciocínio para preencher as lacunas de informação. Isso pode ser feito procurando pistas no texto, fazendo comparações e usando a lógica. Para fazer deduções precisas, no entanto, é importante ter uma boa compreensão do tópico em questão.

A inferência pode ser uma habilidade difícil de dominar, mas com a prática aumenta o desempenho intelectual na análise de problemas.

O que é inferência causal

Inferir então é um processo mental no qual uma pessoa deduz o significado de um evento ou situação a partir de evidências disponíveis. Em outras palavras, inferir é o ato de chegar a uma conclusão baseada em evidências. Por exemplo, se você chegar ao seu quarto e encontrar sua cama desarrumada, pode inferir que seu cachorro estava brincando ali.

A inferência pode ser dividida em duas categorias: 1) inferência causal e 2) inferência explicativa.

1. Inferência causal é o ato de chegar a uma conclusão baseada em evidências para afirmar que algo causa alguma outra coisa. Por exemplo, se você tomar um comprimido e sentir alívio do estômago, você pode inferir que o comprimido causa alívio. Um outro exemplo seria: “Este professor fica muito zangado quando as crianças fazem barulho. Portanto, esse professor irrita as pessoas”. Esta é uma inferência causal porque você está afirmando que a atitude do professor causa raiva. Uma definição final para esta categoria seria: “O que veio primeiro causou o que veio depois”.

2. Explicar algo por inferência é conhecido como inferência explicativa. É quando você usa evidências disponíveis para explicar algo. Por exemplo: “Esta palavra é difícil porque tem letras que nunca vi antes.” Este é um exemplo de inferência explicativa, já que você está usando o fato de não reconhecer as letras para explicar por que a palavra é difícil. Outro exemplo seria: “O professor está com raiva porque bateu a caneta na mesa”. Esta declaração também é desta categoria, já que você está tentando explicar a atitude do professor com base em algumas evidências. “Esta prova é difícil.” é outro do gênero porque você está explicando o fato de que o teste é difícil com base em fatores específicos.

Por exemplo, você poderia estar considerando a quantidade de informações e a qualidade delas. Embora isso seja verdade, há outras razões para uma prova ser difícil (por exemplo, o professor pode apenas querer ver se você é realmente inteligente). Então, inferir com base em evidências é um processo mais preciso do que inferir com base em qualquer coisa.

Então, quando você não consegue entender uma questão de prova e está desesperado, pode tentar inferir com base em alguns fatores. Por exemplo: se um tópico parece muito difícil, pare e pense em algumas explicações para isso. Qual seria a razão para o tópico ser fácil ou difícil? Qual seria a probabilidade de cada uma dessas explicações? Então, baseado na probabilidade, veja se você consegue refazer a resposta da questão.

Conclusão

A inferência é um processo de dedução, no qual usamos o que sabemos para deduzir o que não sabemos. Pode ser uma ferramenta útil em muitas situações, desde a resolução de quebra-cabeças até a tomada de decisões. Com a prática, você pode aprender a inferir com maior propriedade para melhorar suas habilidades dedutivas.